domingo, 2 de março de 2014

CDHMP abre as portas para oficina de língua guarani

Tem curiosidade de conhecer a língua guarani? Participe da oficina do idioma para agentes culturais, estudantes de comunicação e jornalistas, que será ministrada pelo jornalista e professor universitário Mário Ramão. O evento é gratuito e ocorrerá no dia 15 de março, sábado, das 9h às 12h, no Centro de Direitos Humanos, na Vila “A”.

A ação visa a despertar a curiosidade sobre as raízes culturais latinas, o que pode contribuir para desconstruir discursos da colonização europeia. Para Mário, a atividade busca trocar informações a respeito da diversidade identitária da população indígena, bem como facilitar o diálogo entre a comunidade de Foz do Iguaçu e os povos indígenas.

“O objetivo da oficina será de reforçar o conhecimento sobre a cultura guarani e integrar os participantes com a realidade guarani; viabilizar o contato com as variedades do uso da língua guarani e com a nova grafia desenvolvida no século XX; e contribuir para o aprimoramento da formação cultural e linguística dos profissionais”, destacou.

Conteúdo – A programação da oficina será estruturada em três eixos: 1º) a língua e a cultura guarani na América do Sul; 2º) a pronúncia e a grafia da língua guarani utilizadas no Brasil e no Mercosul; e 3º) práticas de oralidade e de escrita em língua guarani. A oficina apresentará diversas abordagens comunicativas de uma forma introdutória, com o intuito de valorizar a oralidade e a escrita.

O evento está sendo organizado pela Universidade Federal de Integração Latino-Americana (Unila), Pró-Reitoria de Extensão do Curso de Letras – Artes e Mediação Cultural, e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Subseção de Foz do Iguaçu). Apoiam a iniciativa a Fundação Cultural de Foz do Iguaçu, Ateneo de Lengua y Cultura Guarani (Paraguai), Guatá – Cultura em Movimento, e Centro de Direitos Humanos e Memória Popular.

Oficineiro – Mário Ramão Villalva Filho é professor de Língua e Cultura Guarani na Unila (Universidade Federal da Integração Latino-Americana). Atualmente é coordenador do Curso de Letras, Artes e Mediação Cultural, na instituição, em Foz do Iguaçu (PR). Mário atua nas áreas de comunicação comunitária, cultura guarani e rádio.

Curiosidade – Foz do Iguaçu tem muitas influências da cultura e da língua guarani, desde o nome da cidade, do estado e de lugares como Itaipu. O guarani é a língua nativa viva majoritária na América do Sul, encontrada no Norte da Argentina, na região do Chaco boliviano e no Sul do Brasil, especialmente no Mato Grosso do Sul, no Paraná, nas aldeias indígenas de vários estados do litoral atlântico, como São Paulo, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Além disso, é a única língua comum a todos os países do Mercosul.

A Unila incluiu oficialmente em seu projeto a língua indígena no Curso de Letras, Artes e Mediação Cultural, o único no Brasil – não voltado exclusivamente para formação indígena – que oferece disciplinas de língua guarani em sua grade curricular obrigatória.

“Acreditamos que seja importante levar à comunidade essa língua, que, sendo original dessa parte do continente, é a única língua viva e oficial de um país, constituindo a identidade dos sul-americanos”, refletiu Mário.

Clique aqui para fazer sua inscrição.

Serviço:
Oficina de Guarani
Data: 15 de março (sábado)
Horário: das 9h às 12 horas
Local: Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu – Alameda Batuíra, 146 – Vila “A”
Clique aqui para ver o mapa de como chegar ao local da oficina.

(Sindijor-PR - Foz do Iguaçu)

'

Nenhum comentário:

Postar um comentário