quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

CDHMP apresenta plano de trabalho para o semestre

Reunião de trabalho do CDHMP - Foto Adilson Borges
Ações buscam fortalecer denúncias, lutas e memória
Os integrantes do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular aprovaram o plano de trabalho para o primeiro semestre em Foz do Iguaçu. Os ativistas vão realizar e apoiar outras instituições em atividades como cursos de formação, oficinas, rodas de conversas, exposições e cineclubes voltados ao combate das injustiças sociais.


O CDHMP também vai melhorar os seus mecanismos para receber denúncias, bem como aperfeiçoar os instrumentos para buscar soluções dos problemas apresentados pela população. O centro retomará a publicação do seu jornal mensal e lançará um novo site, ambos em março. Além disso, a entidade irá estabelecer convênios com outras organizações a fim de garantir o atendimento ao púbico.

As duas frentes de trabalho são as primeiras ações buscando interferir de forma mais contundente no dia a dia da comunidade. O objetivo do CDHMP é transformar a sua sede própria, conquistada no ano passado, num espaço para os movimentos sociais, bem como chegar aos bairros de forma organizada para ouvir as reclamações e denúncias da população.

O imóvel da associação está situado na região da Vila “A” e pode ser utilizados pelas instituições parceiras para atividades de interesse público e coletivo. O espaço dispõe de uma sala de debates, materiais para a projeção audiovisual, acervo de livros, publicação e documentos para a consulta, entre outros instrumentos.

A proposta de ação do CDHMP para este ano ainda inclui a definição de estratégias para alcançar os bairros e comunidades de forma organizada para ouvir as reclamações e receber denúncias da população.

Participe dos encontros de entidade, sempre na manhã do segundo sábado de cada mês. Para fazer parte do coletivo, bastar entrar em contato pelo email cdhfoz@gmail.com. Ou agende uma visita na sede própria pelo telefone (45) 3025-4947. O endereço é Alameda Batuíra, 146 - Vila "A", próximo do Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Nova diretoria – Em dezembro, o CDHMP elegeu o jornalista Alexandre Palmar (presidente); o historiador Danilo Georges (vice-presidente); a universitária Luanna Schumann (secretária-geral); a tradutora Isel Talavera (secretaria de finanças) e a cientista social Tathiana Guimarães (secretaria de comunicação). 

Integram o conselho fiscal o jornalista Wemerson Augusto, o médico José Elias Aiex Neto e o analista sindical Luiz Carlos Silva.  Os membros da gestão anterior, encabeçada pelo jornalista Aluízio Palmar e pelo padre Carlos Sosa, continuam no centro. Eles integram o colegiado consultivo e deliberativo da entidade, formado por pessoas com militância regular nas atividades e reuniões da entidade.

Veja a programação inicial
para o primeiro semestre

A programação já prevê para o dia 25 de fevereiro um debate sobre a degradação do trabalho nas indústrias da região e a imigração com finalidade de trabalho escravo. O evento será promovido pela Associação dos Portadores de Lesões por Esforço Repetitivo (APLER) e pelo Sindicato dos Trabalhadores Federais da Saúde, Trabalho e Previdência (Sindisprev).

CLIQUE AQUI PARA VER AS DATAS CONFIRMADAS.

O calendário está em constante construção e aberto para novas ações.  As outras ações já confirmadas para este semestre são: oficina de agitação e propaganda com o professor Acilino Ribeiro; oficina de sensibilização do olhar ministrada pela fotojornalista Áurea Cunha; e oficina de língua guarani com o professor Mário Ramão Villalva.

Dentro do campo da memória popular, o CDHP está organizando um ciclo de atividades sobre os 50 anos do Golpe Militar e articulando um debate e monumento sobre os 90 anos da Coluna Prestes. Também foi formado um grupo de trabalho, composto por trabalhadores de diferentes setores, para pesquisar a história das lutas populares em Foz do Iguaçu.

Estão previstos atos no Dia da Mulher (8 de março); pela Democratização dos Meios de Comunicação no Dia do Jornalista (7 de abril);  e no Dia do Trabalhador (1º de maio). Completam as atividades o lançamento de uma exposição sobre os 30 anos do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e capacitação de agentes para a Campanha da Fraternidade: “Fraternidade e Tráfico Humano”.

SERVIÇO
Centro de Direitos Humanos e Memória Popular

Alameda Batuíra,146 - Vila "A" - Foz do Iguaçu (PR)
(45) 3025-4947
► Veja as datas do calendário
www.cdhfoz.blogspot.com.br

► Internet
www.facebook.com/cdhfoz
cdhfoz@gmail.com
'

Nenhum comentário:

Postar um comentário