segunda-feira, 11 de junho de 2012


Alunos da Unila denunciam violência da Polícia Militar em alojamento


MEGAFONE - Fernanda Regina
A noite domingo foi tumultuada no Hotel Passport, atualmente um dos alojamentos de estudantes da Unila (Universidade Federal da Integração Latino Americana). Acadêmicos da instituição denunciam violência policial por parte de soldados do 14º Batalhão da Polícia Militar durante abordagem realizada no estabelecimento, localizado na Rua Padre Manoel da Nobrega, Jardim Cristina, em Foz do Iguaçu. 
Uma festa e a denúncia de vizinhos por perturbação do sossego teria motivado a diligência ao local --chamado pelos alunos de “Quebrada do Guevara”. “Estávamos celebrando o aniversário de um colega. Quando a polícia chegou de forma agressiva, avisando que teríamos que acabar com a reunião, pois haviam reclamações dos vizinhos”, relata a estudante colombiana Linda Gonzalez Cárdenas.

Em nota, publicada no blog Quebrada do Guevara, os estudantes afirmam a acusação de excesso de barulho foi “desmentida” por vizinhos e que o equipamento de som utilizado no momento da reunião eram “duas caixas de som de computador, ligadas a um celular”. “Com a chegada da viatura, dois estudantes desceram e informaram aos policiais que a denuncia deveria ser de outro local, mas eles mandaram acabar com a reunião mesmo assim”, informa o estudante Ary Neto.

A partir desde momento, outros estudantes teriam descido para argumentar com os policiais, que, de acordo com eles, decidiram invadir a moradia. “Eles queriam levar alguém para delegacia e começaram a agredir com palavras e a espancar os estudantes”, aponta Neto. “Na sequencia eles deram três disparos para cima”. Os policiais encaminharam oito alunos para delegacia, entre eles uma mulher.

O estudante ainda denunciou que os policiais desviaram as câmaras de segurança que existem no local, porém, algumas imagens foram preservadas. “O que temos para nos defender são as imagens, nelas irá mostrar claramente que não houve reação por parte dos alunos”, declara Ary Neto.

As imagens gravadas teriam sido retiradas pelo proprietário do hotel, que as teria enviado para Unila.  Durante toda a tarde desta segunda-feira (4) a reportagem do Megafone tentou contato com a Polícia Militar para comentar o assunto.  Às 17h30 recebemos a informação  setor de Relações Públicas da PM que o comando concederia a entrevista na tarde desta terça-feira (5).

Conforme a PM, "os estudantes detidos foram levados para a delegacia porque receberam a polícia com xingamentos e gritos, chegando a agredir fisicamente um dos policiais". Após prestar depoimento os estudantes terão de responder pela acusação de perturbação do sossego.


Ainda, segundo informações do major Elias Ariel de Souza, publicada na edição desta terça, do jornal Gazeta do Iguaçu, ao chegar ao local, os estudantes estavam "visivelmente embriagados" e um deles teria quebrado a porta de vidro e atingido um policial. A partir daí, a PM efetuou os disparos "com balas de borracha, para dispersar os alunos".


________________________________
MEGAFONE - Fernanda Regina
@fernanda_rcunha

'

Nenhum comentário:

Postar um comentário