quinta-feira, 28 de abril de 2011

A nossa força está na mobilização

O Centro de Direitos Humanos e Memória Popular (CDHMP) completará 21 anos de atuação em Foz do Iguaçu no dia 20 de maio. Reorganizado em julho de 2010, a instituição está junto com a população na busca por uma sociedade mais justa, democrática e igualitária.




Quase um ano atrás, era possível contar nos dedos o número de pessoas dispostas a dedicar uns minutos das duas vidas para engrossar as ações do CDHPM na cidade. Aos poucos foi aumentando o número de pessoas na luta pelos direitos coletivos. Hoje já são dezenas de militantes, que juntos formularam um ousado calendário de lutas para 2011.



Calendário este que já contou com várias ações em janeiro e fevereiro deste ano, como você pode ver no texto ao lado. Entretanto para tirar esse plano do papel, é preciso somar mais forças, mais homens e mulheres nesta caminhada desafiadora e gratificante ao mesmo tempo.


Por isso, aproveitamos esta edição do jornal para apresentar melhor o Centro de Direitos Humanos e Memória Popular (CDHMP) –já que a primeira edição do MANIFESTO foi inteiramente dedicada a debater o transporte coletivo público iguaçuense.


Objetivos coletivos em primeiro lugar
* Desenvolvimento de programas de promoção e defesa dos direitos humanos, econômicos, sociais e culturais;
* Promoção de atividades que visem à educação, capacitação ou sensibilização de pessoas e entidades para a defesa e promoção dos direitos humanos;   
* Constituir e manter um arquivo de impressos, de áudio e de áudio-visual dos registros que constituem a memória popular; 
* Propor ações civis públicas, mandados de segurança e medidas necessárias à defesa de direitos;
* Apoiar e inserir-se nas lutas dos trabalhadores, visando sua organização e o desenvolvimento de suas atividades;
* Lutar pela implantação de políticas que respeitem o direito à vida e o interesse de toda sociedade, sem prejuízo das classes empobrecidas; 
* Articular com outras entidades da sociedade civil a propagação dos direitos dos civis; 
* Promover o respeito aos Direitos Humanos nos meios de comunicação e o cumprimento de seu papel na promoção da cultura em Direitos Humanos;
* Promover e proteger os direitos ambientais como Direitos Humanos;
* Promover o direito à cultura, lazer e esporte como elementos formadores de cidadania;
* Promover e estimular a realização de estudos, pesquisas, debates e palestras sobre os temas que digam respeito a seus fins e outros de interesse da sociedade.


Principais ações desde a reorganização do CDHMP em Foz do Iguaçu
Debate sobre o Plano Nacional de Direitos Humanos, com a presença de Ivan Seixas, presidente do Conselho Estadual de Defesa da Pessoa Humano/São Paulo e diretor do Fórum de Ex-Presos Políticos do Estado de São Paulo. Dia 30 de abril de 2010, na Unioeste.


Palestra Padre Renzo, padre sinônimo de resistência e solidariedade nos anos de chumbo. Religioso compartilha histórias vividas na ditadura militar em evento que marca os 31 anos da anistia, promulgada em 28 de agosto de 1979. Dia 25 de agosto, na Faculdade UDC.


O manifesto em memória a quatro jovens executados a tiros, em casa, na Chacina do Porto Belo, por um bando encapuzado, em 5 de outubro de 2006. Ato tem debate, teatro e hip hop em memória aos adolescentes. Dia 7 de outubro, no Colégio Estadual Carmelita de Souza.


Comunicado público alusivo a Declaração Universal dos Direitos Humanos denuncia as constantes violações dos direitos fundamentais e da dignidade da pessoa humana. Dia 10 de dezembro de 2010.


Exibição do documentário “Elas da Favela”, que resgata incursão das tropas policiais do Estado do Rio de Janeiro, ocorrida em 27 de junho de 2007. A operação teve como saldo 19 mortos e o pânico levado à comunidade. Dia 10 de dezembro de 2010, na APP-Sindicato.


Denuncia pública sobre os problemas no conjunto habitacional Lagoa Dourada. Moradores reclamam de falta de infra-estrutura e de promessas não cumpridas pela administração pública municipal. Dia 13 de janeiro. 


Caminhada pela reestruturação total no sistema de transporte coletivo, revendo desde as licitações, à acessibilidade, valor da passagem, idoneidade fiscal da empresa concessionária, respeito aos motoristas e cobradores, o fim da passagem diferenciada, entre outros pontos. Dia 3 de fevereiro, no centro.


Petição à Promotoria de Defesa do Consumidor sobre o sistema de transporte. O documento reivinica a instauração de inquérito civil público, bem como propõe uma ação civil pública. Dia 21 de fevereiro.
'

Nenhum comentário:

Postar um comentário