quinta-feira, 28 de abril de 2011

Direito à cidade: mobilidade urbana e tarifa zero


No site Tarifa Zero, o artigo “Direito à cidade: mobilidade urbana e tarifa zero”, de autoria de Diego Augusto Diehl, Greicy Rosa e Victor Alexander Mazura, mostra a urgência da democratização do transporte coletivo público que é considerado pela constituição federal um serviço público essencial. 

O texto mostra como o transporte público no Brasil está a favor dos interesses de pequenos grupos de uma elite privilegiada apoiada no poder político. Podemos ler num trecho: “Desta forma, o direito à cidade se torna um direito auferível apenas por aqueles que tenham condição econômica para tal. Para isso, cada vez mais pessoas são levadas a aderir ao transporte individual (através de mecanismos de endividamento que oneram grande parte do orçamento das famílias trabalhadoras) e cada vez menos pessoas utilizam o transporte coletivo”.


Num outro texto de Marcelo Pomar publicado também no site tarifazero.org explica a essência do projeto Tarifa Zero: “O transporte coletivo deve ser retirado das mãos da iniciativa privada, como fator fundamental para superar a pauta da  lucratividade, que é a questão essência que exclui milhões de pessoas do transporte. O transporte deve ser gerido pelo poder público, municipalizado, voltado para os interesses da coletividade, e pautado numa outra forma de financiamento (...).


Os setores que se beneficiam são os grandes industriais, as grandes empresas de comércio, os detentores dos grandes meios de produção e de circulação de mercadorias. A inversão da lógica “do paga quem usa, para o paga quem se beneficia” é um instrumento importante de democratização do acesso ao transporte coletivo”. 


* Eliseu Pirocelli é militante do movimento hip-hop  em Foz do Iguaçu e autor do blog www.umpescadordepalavras.blogspot.com

'

Nenhum comentário:

Postar um comentário