quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Mudanças no transporte coletivo trazem prejuízos à população


Mais uma vez as empresas concessionárias do transporte coletivo unem-se para implantar mecanismos visando ao aumento de seus lucros à custa dos usuários e dos trabalhadores do setor.
Não satisfeitos em continuar explorando um sistema de transporte coletivo precário, com ônibus sem ar-condicionado e sem equipamentos de apoio aos portadores de necessidades especiais, os empresários do transporte coletivo, em conluio com a prefeitura, estão impondo outros golpes contra os usuários e trabalhadores do setor. Implantaram um cartão (único) para obrigar os usuários a comprarem as passagens antecipadamente e, assim, capitalizarem as empresas.

Ainda em sua sanha por maiores lucros os donos das empresas de transporte coletivo desenvolveram um sistema de funcionamento que se revelou caótico desde o início, principalmente porque houve uma redução dos ônibus em circulação. Em relação à implantação da catraca eletrônica, não há dúvida de a mesma irá reduzir as vagas de trabalho dos cobradores de ônibus.

Os resultados das medidas antipovo implantadas pelos empresários do transporte coletivo têm ocasionado um verdadeiro caos, provocando apreensão e prejuízos diversos para a classe trabalhadora.   
 
Essas novas regras impostas ao povo são inaceitáveis, pois elas trazem prejuízos insuportáveis para os trabalhadores e estudantes, usuários do transporte coletivo.

É preciso respeitar os interesses de milhares de pessoas desta cidade. Por isso temos o dever de chamar a responsabilidade do poder público para que atenda às reivindicações da população usuária de um serviço essencial, como é o caso do transporte coletivo.

Além dos aspectos mencionados acima, as recentes mudanças no sistema de transporte coletivo trouxeram diversos transtornos para a população e para os trabalhadores do setor, a saber:

- Diminuiu o tempo de descanso dos motoristas nos terminais pondo em risco a saúde dos trabalhadores do transporte coletivo.
- O tempo para cumprir os itinerários diminuiu, o que causa estresse para os motoristas que precisam aumentar a velocidade para cumprir o itinerário a tempo em virtude das alterações das linhas.
- Houve a infeliz mistura da implantação do cartão com a alteração das linhas. Ao que tudo indica, mais uma vez as linhas e regiões foram divididas entre as empresas concessionárias que assumiram a responsabilidade de oferecer transporte coletivo para a população.
- Preocupadas somente com a arrecadação e não com a segurança e a qualidade do transporte oferecido aos usuários, os empresários implantaram o Cartão Único, reduziram as linhas e diminuíram a quantidade de ônibus em circulação.
- Os estudantes só gozam do direito de pagar meia passagem no horário escolar, como se deixassem de ser estudantes fora do horário das aulas. Com essa medida o estudante está sendo prejudicado no que se refere a ir atrás de assuntos de interesse de seu aprendizado depois do horário das aulas (ir à biblioteca, por exemplo).
- A propagada integração por meio do cartão único tem se revelado uma fraude, pois as pessoas muitas vezes tem de pagar duas passagens para chegar aos seus destinos. Tal integração deveria ser feita em terminais de transbordo.
- A cobrança de preços diferenciados de passagem para quem paga em dinheiro e para quem tem o Cartão Único é ilegal, pois fere princípios que regulamentam a vida em sociedade.
- A implantação do novo modelo foi efetuada sem a necessária participação popular, causando transtornos entre os usuários e trabalhadores do setor.
- A defesa do transporte coletivo de qualidade é importante, pois diminui 0 uso dos automóveis, reduzindo assim a emissão de gases poluentes ao meio ambiente.    

Foz do Iguaçu, 3 de fevereiro de 2011

Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu 
Associação dos Usuários do Transporte Coletivo de Foz do Iguaçu
APP - Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná –Núcleo Regional de Foz do Iguaçu
Sindicato dos Empregados Em Est. e Serv. Saúde de Foz e Região
SINECOFI - Sindicato dos Empregados no Comércio de Foz do Iguaçu
Movimento Fronteira Zero
Cartel do Rap
'

Nenhum comentário:

Postar um comentário